Paz 

  Bem 

O Carisma das Irmãs Franciscanas nasce da Ordem Terceira de São Francisco, já que as primeiras 12 mulheres que deram o início à uma vida particular dentro da Ordem - na paróquia de Borgo Ognissanti,  situada na cidade de  Florença, em Itália, no ano 1711 -, eram Terciárias e  viviam o carisma que Francisco de Assis  quis ensinar a todos os que queriam segui-lo:  a Penitência.

 

A penitência, assim como entendia o nosso Pai Francisco - diferente dos conceitos que muitos davam  antes e  até depois de Francisco -: é a conversão continua, uma conversão que acontece no coração e na decisão das pessoas depois de ter encontrado Cristo especialmente na  escuta da Palavra, no encontro com o pobre e o leproso,  no silêncio e na oração solitária como aconteceu na Igrejinha de São Damião e em fim na presença dos Irmãos, como aconteceu com a chegada dos primeiros amigos na Ordem.

Podemos ver que Francisco mudou completamente a sua maneira de pensar e agir depois do encontro com o leproso (ele mesmo diz isso no Testamento: o que era amargo tornou-se para mim doçura de alma e corpo);  depois que ouviu a proclamação do Evangelho na Igreja (ele diz: isso que eu quero, isso que eu desejo e isso que eu quer fazer com todo o meu coração);  depois que escutou a voz do crucificado em São Damião (Francisco começa a sua primeira missão de restaurar a Igrejinha) e em fim quando começaram chegar os primeiros amigos, a presença dos outros não fez com que ele permanecesse na mesma espiritualidade, e na mesma caminhada,  mas correu atrás do Papa para entender e fazer o que Deus quer dele e da sua Ordem, até chegar a aprovação.

Francisco ensinou a todos assim: fazer e pregar a penitencia, fazer e pregar a conversão evangélica.

 

As Irmãs Franciscanas são chamadas a fazer este mesmo caminho: Uma vez encontrando-se com Cristo, Pobre e Crucificado, na escuta da Palavra, na oração cotidiana, na convivência fraterna e na missão, caminham rumo à santidade, a vocação universal de cada cristão. 

 

O encontro pessoal com Cristo levar a religiosa ao irmão e, nas variadas atividades apostólicas as Irmãs tem possibilidade de ter o espaço para exercitar a misericórdia e a caridade, fruto da conversão.

Os votos religiosos da castidade, pobreza e obediência ajudam a viver com mais autenticidade a conversão evangélica na vida cotidiana, para ir ao encontro do irmão com coração livre, amando a todos sem possuir a ninguém e tudo isso, somente e simplesmente, por pura obediência aos Conselhos Evangélicos. Por isso a nossa vida é fonte de alegria e de esperança, embora podemos gozá-las na sua plenitude, somente na eternidade!

 

photo1 134.jpg